Com curadoria dos Chairmen da Fundação Cultural Montblanc Sam Bardaouil e Till Fellrath, exposição abre no Centro Georges Pompidou em Paris, seguindo em tour internacional .
No dia 20 de Outubro foi aberta em Paris .  no  Centro Georges Pompidou,  aberta  a primeira exposição do Grupo Arte e Liberdade, um coletiva de escritores e artistas surrealistas que viviam e trabalhavam no Cairo.  Arte e Liberdade: Ruptura. Guerra e Surrealismo no Egito (1938 – 1948).
A exposição é Patrocinada pela Fundação Cultural Montblanc com o objetivo de trazer a público a contribuição para o Surrealismo, até agora desconhecida, do grupo Arte e Liberdade,  fundado em 1938 no Cairo, após a publicação do manifesto Viva a Arte Degenerada. Durante a II Guerra Mundial, o Surrealismo ganhou força através de  muitos artistas através do mundo como um movimento revolucionário inspirado na liberdade de ideologias políticas. Com sua nova definição de Surrealismo, o grupo Arte e Liberdade alcança uma nova linguagem contemporânea literária e pictórica com raízes nas preocupações artísticas e políticas locais, mas que refletem um desafio aos regimes autoritários, nacionalistas e colonizadores.

4-Ramses-Younane-Sans-titre-1939-Collection-S.E.-Sheikh-Hassan-M.-A.-al
4-Ramses-Younane-Sans-titre-1939-Collection-S.E.-Sheikh-Hassan-M.-A.-al

Baseada em cinco anos de pesquisas de campo em todo o mundo e uma extensa preparação de Sam Bardaouil e Till Fellrath, curadores da exposição e co-chairmen da Fundação Cultural Montblanc, a exposição reúne 130 pinturas, trabalhos em papel e fotografias do final de 1920 até o início de 1950, além de um extenso arquivo com mais de 150 documentos, fotos históricas, vídeos e os primeiros manuscritos, nunca exibidos antes, e que irão ajudar a guiar a visita através das circunstâncias políticas, históricas e artísticas nas quais esses artistas trabalharam.

Arte e Liberdade: Ruptura, Guerra e Surrealismo no Egito (1938 – 1948) inicia uma turnê internacional em Outubro de 2016. Após o Centro Georges Pompidou em Paris, a exposição continuará pelas galerias Rainha Sofia em Madrid, Kunstsammlung K21 em Düsseldorf, e Tate Liverpool durante 2017 e 2018.

Compartilhe nas redes sociais!

0 Comments Join the Conversation →


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *