Tannat Tasting Tour

Maior degustação dos vinhos do Uruguai  foi realizado  no Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
Foram 29  vinícolas  do Uruguai  estiveram presentes  no último  dia 22 de agosto, no Museu de Arte Contemporânea de São Paulo para o Tannat Tasting Tour 2017.
Uva ícone da produção de vinhos do Uruguai, a Tannat é reconhecida por apresentar níveis elevados de resveratrol, antioxidante que ajuda a prevenir doenças cardíacas e o envelhecimento das células. Mas o Uruguai comprova que vai além da Tannat, apresentou no evento  rótulos elaborados com as uvas Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Sauvignon Blanc, Chardonnay e até a Albariño, que vem se adaptando de forma excelente ao terroir uruguaio.  125 rótulos uruguaios degustados também foi realizado master class com principais destaques de cada vinícola.
Local do evento Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
Nossos destaques
Os vinhos apresentou com uma elegância incrível como os vinhos se desenvolveram nesta região Alto de la Ballena 2013  , 9 meses em barrica de carvalho francês , aroma de frutas negras, pimenta negra, floral, na boca  complexo, elegante, boa acidez final longo e marcante.
Ariano , Tannat , Syrah e Merlot, 18 meses em barrica de carvalho francês e americano mais 12 meses em garrafa, seu aroma de frutas negras, especiarias, menta, na boca médio corpo, taninos suaves, boa acidez final longo.
Bodegas Carrau . 2011 Tannat 20 meses de barrica de carvalho, aromático frutas negras, especiarias , na boca corpo médio, elegante, taninos redondos , equilibrado  final longo.
De Luca 2011 40%  um assemblage  40% Tannat, 40% Cabernet  Sauvignon, 20% Merlot, são produzidas somente 1000 garrafas, 18 meses barricas de carvalho francês, bem aromático frutado, no palato , complexo, elegante, equilibrado.  um prazer de degustar vinho .
Outra surpresa e o Braccobosca , 2016 100% Cabernet Franc, são produzidas somente 1000 garrafas , 8 meses em barrica de carvalho francês vinho aromático frutas negras, vegetais , especiarias, na boca médio corpo, taninos elegantes, boa acidez final longo e saboroso
bodega Garzon
Bodega Garzon 2015, outro grande vinho 1005 Tannat sua fermentação em concreto , depois envelhecido em fudres de carvalho por 8 meses, no nariz frutas, negras, tabaco, pimenta negra , na boca médio corpo, complexo, estruturado, elegante
Marichal, 2013 100% Tannat , vinhas de 40 anos, envelhecido por 18 meses em carvalho francês e americano no nariz , frutas negras especiarias e menta, na boca estruturado, taninos elegantes, boa textura, final persistente
Pisano 100% Tannat ,  colheita manual,  envelhecido 20 meses em barricas francesas de primeiro uso, seu aromas de frutas negras,  menta, tabaco, café e chocolate e no gustativo Médio corpo, elegante , boa textura e  final longo.
Vina Progresso 2013, 100% Tannat , vinhas de 45 anos envelhecido por 1 anos de barrica francesa nova , seu aroma de frutas negras,  fresco, toques de menta , tabaco e pimenta , no gustativo médio corpo complexo , fresco, taninos redondos, boa acidez e final longo
Nas exportações  o Brasil é o primeiro colocado no ranking de países que mais consomem o vinho uruguaio. Em 2016, representou uma fatia de quase 60% nas exportações, totalizando mais de 2 milhões de litros. As exportações principais são de vinhos elaborados com a uva Tannat.
Compartilhe nas redes sociais!

0 Comments Join the Conversation →


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *