Épice  importadora realizou um happy hour  para apresentar vinhos da vinícola italiana Massi, o evento foi realizado no Piselli Sud em São Paulo.
A Masi Agricola tem  vinícola, com raízes no final do século XVIII, é uma das grandes referências do vinho Vêneto,  estraram no mercado os seguintes  rótulos, Masianco… R$ 140, Rosa dei Masi… R$ 140, Bonacosta… R$ 126, Campofiorin… R$ 174
Brolo Campofiorin Oro… R$ 238, Costasera Amarone … R$ 573 e o Riserva di Costasera… R$ 726
Comemorativo
A Masi Agricola surgiu em 1772, quando a família Boscaini – que até hoje comanda os destinos da empresa – adquiriu um pequeno vale em Verona, na zona de Valpolicella Classico, chamado “Vaio dei Masi”, a inspiração para o nome da vinícola. Ao longo dos séculos, outros vinhedos selecionados aos pés das montanhas e em encostas até 400 metros de altitude, em diferentes áreas do Vêneto – ao redor de Verona e em Valpolicella Classico, Bardolino Classico e Soave Classico –, e também além fronteiras, em Friuli e Trentino, juntaram-se ao patrimônio da empresa. Uma condição sine qua non que norteou as escolhas da Masi foi a preservação de variedades de uvas nativas: Corvina, Rondinella, Molinara, Garganega, Trebbiano di Soave e Oseleta são algumas delas.
Amarone
Masi possui ainda seis “crus”, que são vinhedos com características únicas: Campolongo di Torbe, um lugar histórico, célebre desde o século XII, que origina um refinado Amarone de mesmo nome; Mazzano, que produz um Amarone mais austero; e Vaio Mezzanella, berço de um complexo e raro Recioto, elaborado em quantidade muito limitada. Dois outros “crus” – o Vaio Armaron, que origina um Amarone famoso pela potência e complexidade; e o Casal dei Rochi, que resulta num perfumado Recioto – são geridos desde 1973 pela Masi em parceria com os originais proprietários.
Atualmente  a Masi modernizou o Amarone, elaborando-o em um estilo mais moderno que, consequentemente, conquistou uma legião de fãs em todo o mundo. Masi é, atualmente, líder na produção de Amarone – possui uma linha extensa de opções dentro dessa categoria e exporta para mais de 90 países. E ainda é responsável por ter lançado, ao criar o Campofiorin em 1964, uma nova categoria de vinho vêneto, que hoje é um sucesso internacional. “Seleção infalível e técnicas engenhosas fizeram da Masi um tesouro de vinhos de Verona”, nas palavras de um dos mais respeitados críticos do mundo, o britânico Hugh Johnson, em seu “Wine Companion” (1984).
Compartilhe nas redes sociais!

0 Comments Join the Conversation →


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *