Prova de Vinhos da Península de Setúbal

No dia 7 de junho o Consulado Geral de Portugal promoveu Prova de vinhos da Península de Setúbal é uma sub-região estatística portuguesa, parte da Região de Lisboa, abrangendo a parte norte do Distrito de Setúbal.

A produção de vinhos na Península Ibérica – Vale do Sado segundo historiadores e pelos Tartessos, cerca de 2000 a. C. – O vinho produzido terá sido utilizado nas trocas comerciais que efectuavam com outros povos. Setúbal terá sido fundada pelos Fenícios, cerca de 1000 a. C. Este povo fixou feitorias comerciais no território setubalense no século X a. C também teve influência Grega que contribuíram fortemente no século VII a. C. para o desenvolvimento da viticultura e para o aprimoramento da arte de produzir vinho.
Com a ocupação muçulmana, no séc. VIII, dá-se início a um novo ciclo na cultura da vinha e da produção vinícola. Apesar de o Alcorão proibir expressamente o consumo de bebidas alcoólicas, as autoridades locais, na idade média com no século XII , com estabelecimento da Ordem de Santiago e da reconquista cristã de pontos estratégicos como Almada e Palmela, houve um crescimento de produção viticultura e o vinho constituía uma das principais exportações da Península de Setúbal.

No século XIX surgem grandes nomes do vinho, como José Maria da Fonseca foi uma das personalidades na área da vitivinicultura que se instalou na Vila Nogueira de Azeitão e fundou a sua empresa no setor do vinho, projetando a fama e o prestígio do Moscatel de Setúbal. A par do generoso Moscatel de Setúbal, José Maria da Fonseca criou, em 1850, o vinho Periquita, o vinho tinto de mesa que goza hoje da maior reputação internacional.


1 Degustamos alguns vinhos desta região vinho Branco da Quinta do Piloto, Collection Roxo . moscatel roxo seco, aromático frutas brancas, floral, na boca médio corpo seco, boa acidez produção limitada de 6.000 garrafas
2 Fontonário de Pagões Castelão 2016 D.O Palmela , da vinícola Adega Pagões ,, sua composição Castelão,Cabernet Sauvignon e Touriga Nacional, aromático frutas em compota , toque floral , fermentação clássica envelhecidos 8 meses em barrica de carvalho,
3 Vinhas da comporta 2015, produtor Herdade da Comporta, sua composição Castelão e Alicante Bouschet aroma de frutas negras, com toques de especiarias, no boca médio corpo, fresco, elegante , taninos aveludados e final longo


4 quinta da invejosa Reserva 2015 , produtor Jorge Palhoça , 100% Castelão , vinhas velhas , envelhecido 12 meses em barrica de carvalho Francês , vinhos aromático frutas negras com toques de especiarias, pimenta e tabaco, no gustativo , médio corpo, boa textura, taninos elegantes , boa acidez final longo produção de 7.000 garrafas
6 Quinta da Mimosa 2015, do produtor Ermelinda Freitas, 100% Castelão “ Periquita” , vinhas de 70 anos , colheita manual envelhecido 12 meses barricas novas, vinho estruturado, evoluído, seco, taninos redondos, belo vinho
7 António Saramago Reserva 2010, sua composição Castelão, Touriga nacional e Alicante Bouschet, são enólogos mais antigos da região, envelhecido 12 meses em barricas de carvalho, aromas de frutas negras, notas evoluídas , vinhos estruturado, boa acidez, seco, complexo, taninos redondos , final persistente;
prova teve três moscatéis
Moscatel de Setúbal , 2015 de produtor Adega Camolas , aromático frutas secas,mel trufado, na boca boa complexidade e acidez, suave , boa textura final persistente e doce
Moscatel Roxo de Setúbal , 2012, do produtor Brejinho da Costa 500 ml, edição limitada, aroma floral , com toques de flor de compota de doce de laranja boa complexidade no paladar , taninos redondos , boa acidez , e uma maravilha
Moscatel Roxo de Setúbal, 2014 do produtor Venâncio da Costa Lima , garrafa 500 ml , aroma de compota , de laranja com toque floral , na boca boa complexidade , com acidez equilibrada

Compartilhe nas redes sociais!

0 Comments Join the Conversation →


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *